ESTUDO DE NOVO TRECHO FERROVIÁRIO PARA O ESCOAMENTO DE SOJA DA REGIÃO OESTE DO ESTADO DO PARANÁ

  • Alan Cristofer Silva Fatec Zona Leste
  • Giovanni Fini Verissimo da Silva Fatec Zona Leste
  • João Roberto Maiellaro Fatec Zona Leste
  • João Gilberto Mendes dos Reis UNIP
  • Valéria Rufino Maiellaro Fatec Zona Leste
Palavras-chave: Transporte Ferroviário, Produção de Soja, Região Oeste do Paraná, Railroad Transport, Soya Production, Western Region of Paraná

Resumo

Este estudo trata de um novo trecho ferroviário para o escoamento de soja da região oeste do estado do Paraná, e tem como objetivo geral mensurar o impacto no custo de transporte para os produtores com a construção do novo trecho. O trabalho expõe inicialmente, dados sobre a produção e movimentação de soja no Brasil e, posteriormente, dados sobre os principais problemas enfrentados por operadores nos corredores de exportação. Além disso, aponta a redução da distância entre o percurso atual e o planejado até o porto de Paranaguá. Será que a redução da distância reduz o custo de transporte? Para responder esse questionamento, optou-se pela pesquisa bibliográfica e coleta de dados em sites governamentais e de empresas privadas para realizar cálculos de taxas. O resultado do estudo mostra que com a redução da distância o custo de transporte também sofre redução de 7,66%. Conclui-se que a viabilização do novo trecho é interessante quando se trata de redução no custo de transporte de soja.

Referências

AGÊNCIA DE NOTICIAS DO PARANÁ. Ferroeste bate recordes de carga em 2016. 2017. Disponível em:
. Acesso em: 10 out. 2017.

AGENCIA NACIONAL DE TRANSPORTE TERRESTRE (ANTT). Declaração de
Rede 2017: America Latina Logística Malha Sul. 2017a. Disponível em:
. Acesso em: 14 out. 2017.

AGÊNCIA NACIONAL DE TRANSPORTE TERRESTRE (ANTT). Ferrovias. 2017b.
Disponível em: . Acesso em: 26 set. 2017.

BRANCO, Jose Eduardo Holler et al. Otimização Logística para o Transporte Multimodal de Safras Agrícolas no Brasil com Foco no Corredor Nordeste. ESALQ-LOG, São Paulo, v. 43, n. 01, p.68-92, jan./mar. 2012. Trimestral. Disponível em: . Acesso em: 16 set. 2017.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES (DNIT). Mapa Multimodal Paraná. Disponível em:
. Acesso em: 16 set. 2017.

EMPRESA BRASILEIRA DE PESQUISA AGROPECUÁRIA (EMBRAPA). Soja em
números (safra 2016/2017). 2017. Disponível em:
.
Acesso em: 16 set. 2017.

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DO PARANÁ (FIEP). Plano

Estadual de Logística em Transporte do Paraná - PELT 2035. Paraná: Fórum Permanente Futuro 10 Paraná, 2013. Disponível em:
. Acesso em: 18 out. 2017.

GOOGLE MAPS. Distância do trecho planejado entre Irati e Lapa. Disponível em:
2!3d-25.5314649!4d-50.6530812?hl=pt-BR>. Acesso em: 19 set. 2017.
Acesso em: 19 set. 2017.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA (IPEA) (Comp.). Municípios
produtores de soja do Estado do Paraná: divididos por hectares. Disponível em:
. Acesso em: 18 set. 2017.

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA. Soja em grão e milho puxam as vendas externas deagosto. 2017. Disponível em:
. Acesso em: 16 set. 2017.

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES. Movimentação Granel Sólido Agrícola – Comércio Exterior. 2016. Disponível em:
.
Acesso em: 16 set. 2017.

MINISTÉRIO DOS TRANSPORTES. FERROVIAS. 2018. Disponível em:
. Acesso em: 08 abr. 2018.
Publicado
2018-07-03