AVALIAÇÕES EM EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES

  • Henrique Poyatos
  • Martha Hiromi Mendes
  • Celi Langhi
  • Helena Gemignami Peterossi
Palavras-chave: Educação profissional, Ensino a distância, Avaliação, Resolução de problemas

Resumo

O uso das tecnologias de informação e comunicação (TIC) promovem vários benefícios para o processo de ensino e aprendizagem dos alunos, especialmente na modalidade de ensino a distância (EAD). No entanto, avaliar o desempenho de discentes e cursos ministrados nesta modalidade adequadamente é um desafio a qualquer instituição que se proponha promover um ensino de qualidade. O objetivo deste estudo é analisar como são realizadas as avaliações de um curso de graduação via EAD, visando a medição da performance dos alunos e a validade dos currículos. O método utilizado foi estudo de caso de uma instituição de ensino paulista e seus cursos na modalidade EAD e os resultados indicaram que, embora o uso das tecnologias de informação e comunicação ofereça oportunidades de melhoria na coleta de dados e análise dos mesmos, faz-se necessário elaborar avaliações significativas e capacitar docentes para atingir este objetivo.

Biografia do Autor

Henrique Poyatos

Discente do Programa de Mestrado do Centro Paula Souza

Martha Hiromi Mendes

Discente do Programa de Mestrado do Centro Paula Souza

Celi Langhi

Professora do Programa de Mestrado do Centro Paula Souza

Helena Gemignami Peterossi

Professora do Programa de Mestrado do Centro Paula Souza

Referências

ABED. Censo EAD Brasil 2016 - Relatório Analítico de Aprendizagem a Distância no Brasil, 2017. Disponível em: . Acesso em: 2 set. 2018.
COMENIUS, I. A. Didática Magna. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2016.
CRONBACH, L. J. Essentials of psychological testing. New York: Harper & Row Publishers Inc., 1970.
DEPRESBITERIS, L.; TAVARES, M. R. Diversificar é preciso...: Instrumentos e técnicas de avaliação de aprendizagem. 1a. edição ed. São Paulo: Senac São Paulo, 2017.
DEWEY, J. Democracia e Educação. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1959.
HAERTEL, E. H. Performance Assessment and Educational Reform. Phi Delta Kappan, v. 80, n. 9, p. 662–666, 1999.
LANDSHEERE, G. de. Como avaliar os alunos. Lisboa: Seara Nova, 1976.
LANGHI, C. Materiais instrucionais para o ensino à distância: estudo sobre a aplicação da teoria de aprendizagem significativa de Ausubel na produção de conteúdos para cursos via Internet. 2005. Tese (Doutoramento em Psicologia). Instituto de Psicologia da USP, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2005.
LIBANEO, J. C. Didática. São Paulo: Cortez Editora, 2017.
LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar: apontamentos sobre a pedagogia do exame. Tecnologia Educacional, v. 20, n. 101, 1991.
LUCKESI, C. C. Avaliação da aprendizagem escolar: Estudos e proposições. São Paulo: Cortez Editora, 2014.
OTSUKA, J. L.; ROCHA, H. V. da. Avaliação formativa em ambientes de EaDXIII Simpósio Brasileiro de Informática na Educação – SBIE – UNISINOS, , 2002. Disponível em: . Acesso em: 2 set. 2018.
PARREIRA, A.; SILVA, A. L. da. A lógica complexa da avaliação. Ensaio: aval. pol. públ. Educ., Rio de Janeiro, p.367-388, v. 23, n. 87, 2015.
POZO, J. I.; POSTIGO, Y. La solución de problemas como contenido procedimental em la educación obligatoria. In: Solución de problemas. Madrid: Santillana, 1994. p. 322–347.
SCRIVEN, M. The logic of evaluationClaremontClaremont Graduate University, , 2007. Disponível em: . Acesso em: 2 set. 2018.
STERNBERG, R. J. The psychology of problem solving. 1a. edição ed. Cambridge: Cambridge University Press, 2003.
WIGGINS, G. The Case for Authentic Assessment. o Practical Assessment, Research & Evaluation, v. 2, n. 2, 1990. Disponível em: . Acesso em: 2 set. 2018.
Publicado
2020-04-05