COOPERATIVISMO COMO INSTRUMENTO ALTERNATIVO DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO NO SETOR CAFEEIRO – UM ESTUDO DA REGIÃO DE TUPI PAULISTA

  • Carlos Roberto Cano
Palavras-chave: Agronegócio, agricultura, produção cafeeira, cooperativa, desenvolvimento, desenvolvimento humano, distribuição de renda, cooperativismo

Resumo

O presente ensaio visa analisar vantagens competitivas auferidas por produtores de café ao se associarem como cooperativas agrícolas, em comparação com os isolados. Realizamos estudos demográfico-populacionais de duas cidades com características populacionais semelhantes, onde em apenas uma delas existe a atuação de uma cooperativa agropecuária, analisando-se comparativamente índices de desempenho da produção cafeeira e os índices de desenvolvimento locais.

Para melhor contextualização do agronegócio brasileiro, quanto ao status quo do cooperativismo, foram abordados os seus principais aspectos históricos, além de seus respectivos embasamentos legais e assuntos correlatos.

 

Biografia do Autor

Carlos Roberto Cano

Professor Mestre na Faculdade de Tecnologia de Itaquaquecetuba – Fatec Itaqua

Referências

A. Livros
1. Albuquerque, Marcos Cintra Cavalcanti. Economia agrícola o setor primário e a evolução da economia brasileira. São Paulo. McGraw Hill, 1987.
2. Harada, Erika. Ferraz, José Vicente. Silva, Maurício Lemos Mendes. AGRIANUAL 2008 – Anuário da Agricultura Brasileira. São Paulo. Instituto FNP, 2017.
3. Krueger, Guilherme. Miranda, André Branco. Comentários à Legislação das sociedades cooperativas, TOMO I. Belo Horizonte. Editora Melhoramentos, 2007.
4. Marconi, Marina. Lakatos, Eva. Técnicas de Pesquisa. São Paulo. Editora Atlas, 2002.
5. Panzutti, Ralph et. al. Cooperativismo ao Alcance de Todos. São Paulo. OCESP/SESCOOP, 2006.
6. Pinto, Antonio Luiz de Toledo. Céspedes, Lídia. Windt, Márcia Cristina Vaz dos Santos. Vade Mecum. São Paulo. Ed. Saraiva, 2008.
7. Porter, Michael E. Estratégia Competitiva. Rio de Janeiro. Editora Campus, 1986.
8. Prado, Flávio Augusto Dumont – Tributação das cooperativas à luz do direito cooperativo. Curitiba. Editora Juruá, 2006.
9. Santos, Flavio Eduardo de Gouvêa. Manual de Conselho Fiscal de Cooperativas. São Paulo. SESCOOP/SP, 2008.
10. Vergara, Sylvia C. Projetos e Relatórios de Pesquisa em Administração. São Paulo. Editora Atlas, 2009.
B. Sites
1. Associação Brasileira da Indústria do Café – ABIC (www.abic.com.br), acesso em 10/01/2019
2. Companhia Nacional do Abastecimento – CONAB (www.conab.gov.br), acesso em 19/01/2019
3. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE (www.ibge.gov.br), acesso em 16/01/2019
4. Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas – IPEA (www.ipea.gov.br), acesso em 20/12/2018
5. Organização das Cooperativas Brasileiras – OCB (www.ocb.coop.br), acesso em 14/02/2019
6. Portal do Cooperativismo do Sistema OCESP/SESCOOP (www.portaldocooperativismo.org.br), acesso em 02/02/2019
7. Prefeitura do Município de Tupi Paulista (www.tu/pipaulista.sp.gov.br), acesso em 15/02/2019
8. Prefeitura do Município de Teodoro Sampaio (www.teodorosampaio.sp.gov.br), acesso em 15/02/2019
9. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento – PNUD (www.pnud.org.br)
10. EMBRAPA CAFÉ (www22.sede.embrapa.br/cafe/unidade/historico.htm),acesso em 17/03/2019
11. ABIC – Associação Brasileira da Indústria de Café (www.abic.com.br/estat_exporta_ppaises.html), acesso em 17/03/2019
12. SESCOOP - Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo – www.sescoop.gov.br. Acesso em 20/03/2019
Publicado
2020-04-05